Eleições 2018

ELEIÇÕES 2018: ANO TERMINA E COMEÇA A CORRIDA ELEITORAL

PORTO VELHO- Começa amanhã 2018, um ano eleitoral. A sucessão estadual em Rondônia está indefinida, sem favoritos. O governador Confúcio Moura (MDB) o único político que cresceu em popularidade e em importância em nível nacional, é o favorito para o Senado Federal, seguido do prefeito de Ji-Paraná, Jesualdo Pires (PSB). Talvez estes dois sejam os únicos dos políticos na ativa que não foram afetados pelas crises econômicas e políticas pela quais passam o País.

Para o governo de Rondônia, pelo menos oito nomes já foram apresentados. Por ordem alfabética, o senador Acir Gurgacz (PDT) deve disputar as eleições de 2018 em condições desfavoráveis. A garantia dele de uma possível vitória perpassa pelo apoio de Confúcio, mas, este tem se mostrado fiel ao partido, o MDB, que deve lançar o deputado, presidente da Assembleia Legislativa, Maurão de Carvalho. Tem também um novo fator. O vice-governador Daniel Pereira (PSB), que vai assumir o governo em abril próximo, está crescendo nas pesquisas e tem o apoio de metade da cúpula do governo pata disputar uma possível reeleição.

Paralelamente, novos nomes surgem com potencial. O jovem advogado e professor universitário Vinícius Valentin Raduan Miguel, da Rede Sustentabilidade, aparece como opção de renovação, sendo considerado a possível zebra das eleições de 2018. O procurador de Justiça, Héverton Aguiar (Podemos) é outra cara nova que poderá disputar o governo de Rondônia. Uma cara antiga, mas, com nova plumagem, volta ao cenário político o ex-prefeito e ex-Constituinte José Guedes, como pré-candidato ao governo de Rondônia pelo partido dos tucanos, o PSDB. E, na incerteza, postula também a sua volta ao governo, o senador Ivo Cassol (Progressistas) que está inelegível até 2022, mas que deve sair assim mesmo, sub judice.

O pleito de 2018 poderá contar ainda com um candidato do PT, do PCdoB, Jackson Chediak,do PSTU, Pedro Nazareno. O PSOL poderá vir de novo com Pimenta de Rondônia.

A menos que se forme um frentão para enfrentar os poderosos, o futuro de Rondônia poderá cair nas mãos dos mesmos.

Mais acessadas

To Top