Eleições 2018

MP E PF NA SUCESSÃO ESTADUAL ASSUSTAM IMPLICADOS NA LAVA JATO

Se Héverton Aguiar e Bosco da Federal decidirem mesmo sair ao governo de Rondônia pelo Podemos, vão intimidar alguns candidatos implicados na Lava Jato. É que Héverton Aguiar é ex-procurador geral do Ministério Público de Rondônia e Bosco, ex-agente da Polícia Federal. Dos oito prováveis candidatos ao  governo de Rondônia, os mais fortes Acir Gurgacz (PDT) e Ivo Cassol (Progressistas) foram citados na Lava Jato. Num eventual debate na TV, investigadores e investigados poderão estar lado a lado, fazendo perguntas um para o outro. Imagina o constrangimento.

O ex-agente de Polícia Federal, João Bosco, popularmente conhecido como “Bosco da Federal”, que, junto com o ex-procurador geral do Ministério Público do Estado de Rondônia – MP/RO, Héverton Aguiar, vêm sendo cortejados pelo pré-candidato à presidente, Álvaro Dias, a formar uma chapa em Rondônia, em defesa da Ficha-Limpa, Lava Jato, e corte severos nos gastos e privilégios jurídicos dado aos políticos.

Héverton Aguiar deverá sair candidato ao governo de Rondônia, e Bosco da Federal, seria candidato a vice-governador ou ao Senado, pelo PODEMOS, legenda que conta com nomes limpos na política como o do senador Romário, que sairá candidato ao governo do estado do Rio de Janeiro pela legenda.

Bosco da Federal

Nascido no Rio Grande do Norte, Bosco da Federal é um agente da Polícia Federal de considerável currículo de serviços prestados ao estado brasileiro e Amazônia. Bacharel em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN, já serviu serviu em missão no Haiti e chegou a coordenar a segurança da visita da realeza inglesa em 1991, garantindo a estada do príncipe Charles, princesa Diana e seus filhos.

Ainda atuando em Brasília, Bosco da Federal foi coordenador da segurança da Eco Rio 92, que recebeu dezenas de chefes de estado, que pela primeira vez debateram sobre o meio ambiente e os problemas ocasionados pela poluição no Planeta.

Em Rondônia, se tornou liderança representativa dos policiais federais, onde passou a ter inserido em seu próprio nome à instituição a qual representa. Na capital, Bosco da Federal ocupou a cadeira de vereador, onde em pouco tempo conseguiu denunciar esquemas e desmandos dentro da casa de leis, assumindo inclusive a Comissão de Constituição e Justiça.

Mostrando um perfil de transparência e seriedade nas ações públicas desempenhadas, Bosco ainda atuou na Secretaria de Justiça de Rondônia e coordenou o Instituto de Previdência de Porto Velho. Tornando-se um dos nomes mais sérios da atual política em Rondônia.

Quem é o PODEMOS

Certamente por esse perfil de respaldo, Bosco da Federal, se tornou uma das metas do PODEMOS, legenda que até pouco tempo atrás era chamada de PTN, porém, após um severo processo de reformulação, se tornou um partido 100 % Ficha Limpa e sem envolvimento em escândalos de corrupção.

Aos poucos, o PODEMOS foi atraindo nomes fortes e promete ser a maior surpresa das eleições 2018. Realizando suas atividades normalmente, Bosco ainda não se posicionou sobre qualquer indicio de candidatura, porém já foi até Brasília conversar com a presidente do PODEMOS, a deputada Renata Abreu e o senador Álvaro Dias.

A expectativa é de que nos próximos meses, a comunidade rondoniense conhecerá as principais propostas e que no pleito 2018 possa ter a oportunidade de colocar no Senado um atuante Agente de carreira da Polícia Federal, fato ainda não muito comum entre os estados da nação.

Fonte: Mais RO com  JH Notícias – João Paulo Prudêncio

 

Mais acessadas

To Top