Eleições 2018

PRESENTE EM 12 ESTADOS, PARTIDO DA IGUALDADE TENTA REGISTRO NO TSE


Kláudio Martins entrega pedido de registro do partido no protocolo do TSE, em Brasília

Os acontecimentos mais recentes que marcaram a cena política brasileira, nos últimos dois anos, têm motivado a reação de vários segmentos para a construção de novas legendas, com causas e propostas das mais variadas. Uma delas está motivando a criação do Partido da Igualdade, que tem como bandeira principal a acessibilidade e a inclusão da pessoa com deficiência.

A nova legenda está em fase de registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O processo que iniciou no dia 5 deste mês é o primeiro totalmente eletrônico. Por telefone, a partir de contato via rede social, a reportagem da Gazeta localizou seu presidente, o administrador público e biólogo Kláudio Martins.

“Decidimos partir para a construção de um partido porque a política brasileira está enfrentando uma crise que tem feito as pessoas desacreditarem. Os partidos se parecem mais com pequenas empresas e grandes negócios ou ainda agremiações da época da monarquia, com donos”, criticou Martins.

Ele conta que a causa que a legenda se propõe a defender é conhecida de perto por sua família, já que ele mesmo tem uma leve deficiência auditiva e possui uma irmã com necessidades especiais.

Baseado em dados ele explica que no Brasil, atualmente, 24% da população tem algum tipo de deficiência. Isso representaria 45 milhões de pessoas, das quais pelo menos 30% delas estariam na região Nordeste.

“São pessoas que não têm espaço, nem representatividade. Na Câmara dos Deputados temos as deputadas Mara Gabrilli (PSDB) e a Rosinha da Adefal (PTdoB) e, aí em Alagoas, temos uma deputada na Assembleia Legislativa, a Thaíse Guedes (PMDB)”, observou Kláudio Martins.

O Partido da Igualdade está registrado em 12 estados, sendo sete nordestinos. Para o seu presidente, isso é uma prova de que a mensagem e a proposta da legenda está sendo alcançada por algumas lideranças.

Em Alagoas, o representante é Odilon Tenório, atualmente suplente de vereador em Arapiraca, mas que também integra a Secretaria de Política Racial do Piauí.

Após o carnaval, Kláudio Martins pretende fazer uma visita à capital alagoana e algumas cidades para avançar ainda mais na construção da legenda. Filho de político, ele conta que vive a realidade da área há muito tempo.

“Já participei de outras legendas, mas nunca tivemos grandes oportunidades, porque algumas delas, no final, eram negociadas ou até mesmo vendidas para alguma coligação”, lembrou.

Quanto à tendência política a ser adotada pelo Igualdade, o presidente prefere explicar que ele não é nem de esquerda: “Somos um partido de causas”, ressaltou.

Como preencheu a todos os requisitos da legislação brasileira, ele está confiante no registro, como ocorreu em Alagoas, quando o Tribunal Regional Eleitoral, assim como nos demais estados, também reconheceu por unanimidade sua legalidade.

Fonte: Gazeta de Alagoas

Mais acessadas

To Top